24 de mai de 2013

O que é Deja Vú?


http://futuroinevitavel.tumblr.com/post/50446496696
Essa sensação se dá por conta que uma memória ou uma simples lembrança de algo que aconteceu rapidamente, fique armazenada em sua memória de longo prazo, sem passar pela memória imediata, ou seja, você guardou uma lembrança de algo, que você "não presenciou", ao presenciar novamente você tem a estranha sensação de já ter vivenciado aquele fato.
Sabe-se que nossa memória às vezes pode falhar; nem sempre consegue-se distinguir o que é novo do que já era conhecido. Eu já li este livro? Já assisti a este filme? Já estive neste lugar antes? Eu conheço esse sujeito? - essas são perguntas corriqueiras de nossa vida. No entanto, essas dúvidas não são acompanhadas daquele sentimento de estranheza que é indispensável ao verdadeiro déjà vu. Eu posso até me sentir um pouco confuso, ou indeciso, ou triste por sentir que minha memória já não tem a limpidez de outros tempos, mas isso é natural; o sentimento associado ao déjà vu clássico não é o de confusão ou de dúvida, mas sim o de estranheza. Não há nada de estranho em não lembrar de um livro que se leu ou de um filme a que se assistiu; estranho (e aqui entra-se no déjà vu) é sentir que a cena que parece familiar não deveria sê-lo. Tem-se a sensação esquisita de estar revivendo alguma experiência passada, sabendo que é materialmente impossível que ela tenha algum dia ocorrido. Em psiquiatria o termo é utilizado para ilustrar pacientes que repetem comportamentos compulsivamente Transtorno Obsessivo Compulsivo, na tentativa de sentir novamente as mesmas sensações já experimentadas. Mas, o que é mais intrigante nesta questão é o fato do indivíduo poder, nestas circunstâncias, experimentar esta estranha sensação de já ter vivenciado o que lhe ocorre, e além disso, também poder relatar (antes de uma observação) quais serão os acontecimentos seguintes que se manifestarão nesta sua experiência.
Quando a expressão déjà vu saiu das publicações especializadas em neurologia e psicologia para entrar na imprensa comum, o público, atraído por sua tradução literal ("já visto"), passou a usá-la para designar aquelas situações em que a pessoa tem a sensação de estar vivenciando algo que lhe parece familiar. Pode parecer ironia, mas a expressão que a linguagem técnica associa à estranheza passou, na linguagem usual, a indicar familiaridade. É nesse sentido que escreveu um conhecido comentarista político: "Assistir à instalação na nova CPI trouxe-me uma triste sensação de déjà vu" -, um lamento que equivale à forma popular "eu já vi esse filme".
Dèjá vú também é tema de um filme americano.
Os especialistas reagem contra a limitação do "vu", que restringiria ao mundo do que pode ser "visto", e já soltaram por aí formas paralelas que fariam referência mais específica aos vários tipos de situação: "déjà véanus" ("já vivido"), "déjà lu" ("já lido"), "déjà entendu" ("já ouvido"), "déjà visité" ("já visitado") - o que pode um dia acarretar um "déjà mangé" ("já comido") ou um "déjà bu" ("já bebido"). 
Créditos: Wikipédia
Espero que tenham gostado. 

7 comentários:

Rachel Malheiros disse...

Mto legal o texto, adorei

bjos
:)
http://rachelmalheiros.blogspot.com.br/

Flávia disse...

Bom texto, é sempre legal saber sobre essas coisas, gosto de ler algumas curiosidades vez ou outra.

Thoughts-little-princess.blogspot.com

Régia Targueta disse...

Eu adoro essas sensações, sabe!

Principalmente com acontecimentos estranhos!


http://www.powerinred.blogspot.com.br/

Rachel Malheiros disse...

obrigado por retribuir a visita,
bjos flor, te espero mais vezes no meu cantinho

:*
http://rachelmalheiros.blogspot.com.br/

Mariana Vicente disse...

Eu acho esse assunto muito interessante e bem curioso. Gostei!!!
bjãooo

Blog Flicka / Fan Page / Canal

Ana disse...

Legal, adorei. Sempre tenho essa sensação, principalmente tenho a sensação de que já sonhei tal fato

Fer Dallan disse...

Obrigada ♥.♥

Eu já tive tantos! Amei o post <3

Instagram: ferdallan
http://www.leferblog.com.br